Operação da PF mira irmã de ministro das Comunicações em desdobramento de investigações.

Na manhã desta sexta-feira (1º), a prefeita de Vitorino Freire (MA), Luanna Rezende, que é irmã do ministro das Comunicações, foi alvo de uma operação da Polícia Federal. A ação, denominada Operação Benesse, tem como objetivo investigar suspeitas de desvios na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

O ministro das Comunicações, Juscelino Filho (União-MA), também está sendo investigado no caso, mas não foi alvo de mandados. No entanto, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, determinou o afastamento da prefeita do cargo.

A Codevasf é uma estatal responsável por realizar obras e serviços em estados do Nordeste e do Norte, além do Distrito Federal. Nesta operação, a Polícia Federal cumpre 12 mandados de busca e apreensão em São Luís/MA, Vitorino Freire/MA e Bacabal/MA, todos expedidos pelo Supremo Tribunal Federal. Além disso, medidas cautelares estão sendo cumpridas, como o afastamento da função pública, a suspensão de licitações e a vedação da celebração de contratos com órgãos públicos, bem como ordens de indisponibilidade de bens.

De acordo com a Polícia Federal, a investigação teve início em 2021 e passou por duas fases anteriores, sendo a primeira, denominada Operação Odoacro, deflagrada em 20/7/2022, e a segunda, chamada Operação Odoacro II, em 5/10/2022. A operação de hoje atinge o núcleo público da organização criminosa, após ser rastreada a indicação e o desvio de emendas parlamentares destinadas à pavimentação asfáltica de um município maranhense.

Se as suspeitas forem confirmadas, os investigados poderão responder por fraude a licitação, lavagem de capitais, organização criminosa, peculato, corrupção ativa e corrupção passiva.

Ministro é investigado

As investigações apontam que o ministro das Comunicações, Juscelino Filho, direcionou R$ 5 milhões do orçamento secreto para executar obras que beneficiaram fazendas de sua família no município de Vitorino Freire (MA). Esses recursos foram utilizados para asfaltar uma estrada de terra de 19 km que passa em frente à fazenda do ministro e em terras de propriedade de seus familiares.

A empresa responsável pela execução da obra, a Construservice, disputou a licitação sozinha e foi contratada em fevereiro de 2022 pela prefeita Luanna Rezende, irmã do ministro. No entanto, o verdadeiro dono da empresa contratada seria Eduardo José Barros Costa, conhecido como Eduardo Imperador, amigo de longa data de Juscelino.

Em julho de 2022, Eduardo foi preso pela Polícia Federal sob acusação de pagar propina a servidores federais da Codevasf para liberar obras na região. Vale ressaltar que a estatal é controlada pelo partido União Brasil, ao qual o ministro está filiado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo