Refugiadas do Brasil buscam asilo no Uruguai em meio a denúncias de envolvimento em protestos políticos.

A situação de refúgio no Uruguai ganhou destaque nos últimos dias, com a chegada de três brasileiras que teriam ido buscar proteção no país vizinho. De acordo com informações apuradas pelo Brasil de Fato, as três mulheres teriam chegado juntas com outras duas mulheres, que ainda não foram denunciadas por envolvimento em um caso ocorrido em 8 de janeiro.

O grupo teria buscado refúgio no consulado do Uruguai em Santana do Livramento, cidade gaúcha que faz fronteira com Rivera, no Uruguai. Esta rota possibilita chegar ao país vizinho sem passar pelos controles de fronteira, já que as cidades se encontram e há até uma praça internacional na região com partes no Brasil e no Uruguai.

Informações indicam que as mulheres teriam informado no consulado uruguaio que há um grupo de 84 pessoas com os mesmos objetivos de buscar refúgio no país, que atualmente é governado pelo presidente conservador Luis Lacalle Pou.

A reportagem entrou em contato por e-mail com o Itamaraty, a Polícia Federal e o Ministério da Justiça sobre o caso, mas não obteve retorno até o momento.

Além disso, a Embaixada do Uruguai no Brasil enviou uma nota que ressalta o direito de solicitar refúgio no território nacional, de acordo com a Lei 18.076 de 2006. A confidencialidade dos processos de solicitação e obtenção do refúgio também foi destacada, reforçando que o Uruguai não pode fornecer informações sobre a existência de pedidos de refugiados ou o estado dos procedimentos.

A situação enfatiza a importância do respeito aos direitos dos solicitantes de refúgio, tanto no âmbito nacional quanto no direito internacional. Fica evidente a necessidade de garantir a segurança e a privacidade das pessoas que buscam refúgio em outro país, de acordo com as leis e tratados estabelecidos sobre o tema.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo